Mês: janeiro 2015

Roubo de veículos no Estado de SP aumenta em 2014

Vista_parcial_noturna_de_Ribeirão_Preto_SP

Número de casos disparou em Ribeirão PretoDados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo apontam que 2014 foi um ano mais violento quando o assunto é furto e roubo de veículos.

O total de casos chegou a 221.044, média de 606 ocorrências diárias. Em 2013, foram 215.525, ou seja, o ano passado teve aumento de 5.519 roubos e furtos.

A Grande São Paulo teve um aumento de quase 10% nos casos de subtração de veículos.

A Baixada Santista registrou 8211 casos, quase 15% a mais do que em 2013.

A região de Ribeirão Preto, teve aumento recorde de 31% nas ocorrências. Um veículo é roubado a cada 5 horas na cidade. O comandante do 51º Batalhão da Polícia Militar, responsável pelas regiões Centro, Zona Sul e Oeste, atribui o aumento ao primeiro semestre do ano passado, que registrou altos índices de roubos, em março, mês de maior incidência dos casos – foram 169 roubos.

O comandante explicou que aumentou a fiscalização diária da PM para tentar diminuir os roubos. “Estamos realizando mini-bloqueios nas regiões com maior incidência deste crime, é uma maneira de prevenção”, explicou Renato Alves, tenente-coronel da PM.

Um a cada dois furtos ou roubos de veículos ocorre à noite. Madrugada é período mais tranquilo

Segundo pesquisa, 52% dos roubos e furtos ocorrem entre 18h e 0h

Um estudo encomendado por duas das maiores seguradoras do país, a Banco do Brasil Seguros e a Mapfre mostra que  os índices de roubo (com ameaça ou ação violenta) e furtos de carros são maiores à noite (18h à meia-noite).

Ao contrário do que se pensa, o levantamento aponta que a madrugada (0h a 6h) é o período em que há menos ocorrências — mesmo com carros “dormindo” nas ruas e muitas pessoas dirigindo sozinhas. O levantamento, que considera os sinistros registrados em 2014 pelos clientes das duas seguradoras em todo o território nacional, mostra que mais da metade dos crimes, 52%, ocorreu entre 18h e 0h. A madrugada foi palco de apenas 8%. O período da tarde (12 às 18 horas) é o segundo mais perigoso, com 22% das ocorrências, seguido manhã (6 às 12 horas), com 18% das ocorrências.

POR REGIÃO

Ainda de acordo com o estudo das seguradoras, 64,2% dos roubos/furtos em 2014 aconteceram na região Sudeste. Em seguida vem o Sul, com 14%. Nordeste e Centro-Oeste concentraram, respectivamente, 10% e 9% dos casos, enquanto o Norte teve apenas 2,8%.

Embora haja relação entre esses percentuais e o tamanho da frota de cada região, também foi no Sudeste que, sempre segundo a pesquisa, houve maior frequência de roubo/furto a cada 100 automóveis circulantes: 1,21. O Sul, por exemplo, caiu para quarto nesse quesito, registrando 0,68, atrás de Centro-Oeste (0,75) e Nordeste (0,71). Já a média nacional ficou em 0,96 carro roubado/furtado para cada 100 nas ruas.

Férias: Veículos são principal alvo de ladrões em cidades praianas

Para passar o verão em alguma praia brasileira, o turista terá de redobrar o cuidado com o carro.
O furto ou o roubo de veículos são as ocorrências policiais que mais crescem na maioria das principais cidades litorâneas do país.
Logo a seguir, aparecem os furtos a turistas. Em números absolutos, eles vencem todas as demais ocorrências. Também preocupam as autoridades, principalmente por causa da distração dos turistas, o que facilita o roubo.
A tendência de crimes contra veículos está tão consolidada que, na Baixada Santista (SP), a polícia vai montar uma operação especial só para conter esse tipo de crime e inverter o aumento verificado nas últimas temporadas.
De 16 cidades de praia selecionadas pela Folha no Brasil, 6 têm no furto ou roubo de carro o crime que mais alerta as autoridades locais, em qualquer período do ano -seja pela quantidade, seja pelo aumento.
Guarujá, no litoral de SP, é a campeã de crescimento dos crimes contra veículos. Foram 26 registros no verão 96/97 e 103 no de 97/98 -um aumento de 296,5%.
“Há muitos casais que ficam dentro dos carros, em locais pouco iluminados, e motoristas que deixam a chave no contato e abandonam o carro. Isso tem de ser evitado”, diz o delegado regional da Polícia Civil em Santos, Anivaldo Registro.
No Rio, a média mensal desses tipos de crime passou de 2.398 em 97 para 2.567 em 98 (dados até julho). A Secretaria da Segurança Pública não dispõe de dados mensais de 97, mas o total de registros aumenta a cada mês.
A capital catarinense é outra que se encaixa nesse perfil. Foram 128 furtos ou roubos de veículos em outubro de 97 e 162 em outubro deste ano.
Segundo o delegado Adalberto Safanelli, os locais em que ocorrem mais furtos são próximos às praias e aos morros de Florianópolis. “O turista vai para a praia, esquece tudo e acaba sendo roubado ou furtado”, disse.
Entre as dicas dadas pelo delegado estão: dirigir com vidros fechados, nunca deixar a chave no contato do carro, estacionar em locais movimentados e iluminados, não dar carona a estranhos, fazer seguro do veículo e nunca reagir em caso de assalto. “Prevenir é mais barato”, diz Safanelli.

Fonte: Folha SP

CARSYSTEM - Em todo o Brasil, Proteção tem Nome.