A motocicleta é vista como uma solução de transporte para quem quer ter condução própria e fugir do transporte público, quase sempre lotado.

Mas qual é o perfil do comprador de motos e como ele usa o veículo?

Para responder a essas e outras perguntas, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motos e Motonetas (Abraciclo) realiza pesquisas para traçar o perfil do consumidor brasileiro de motocicletas.

Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), dos 10 veículos mais vendidos na Região Sudeste. De acordo com a Abraciclo, a participação feminina vem crescendo, mas ainda é pequena. Em cada dez motociclistas, 8 são homens. A faixa etária de maior consumo de motos novas vai dos 21 aos 40 anos, com 66% de participação.

Outro dado interessante apurado pela pesquisa é com relação ao estado civil do comprador de motos novas: 57% são casados, revelando que a motocicleta também serve como o primeiro veículo da família, já que apenas 36% dos entrevistados dizem também ter automóvel. As razões de compra confirmam o raciocínio, já que 40% declaram que adquiriram a moto para substituir o transporte coletivo; 10% para substituir o carro; e 16% como ferramenta de trabalho, como é o caso dos motoboys.

Outro dado que retrata o amadurecimento do mercado é que 72% dos compradores afirmam que não é sua primeira moto. Ou seja, o consumidor que entra no segmento permanece nele. A pesquisa mostra ainda que 80% declaram que usam a moto individualmente e 20% a compartilham. No quesito finalidade de uso, 74% revelam que usam a moto para ir ao trabalho ou à escola, e também como instrumento de trabalho. Com relação à forma de aquisição, surpreendentemente 23% compram à vista, 36% optam pelo consórcio, 40% por financiamento e 1% preferem outras modalidades.

Independentemente de como a moto foi comprada, é preciso protegê-la. A melhor maneira de fazer isso é instalar um rastreador Carsystem. Acesse o site: www.carsystem.com/blog/ e adquira o seu!